Mestrado

Acreditações

A3ES logo

Ver mais

Acreditado
6 Anos
31 jul 2020
Registo DGES
Registo inicial R/A-Ef 1040/2011 de 18-03-2011
Registo de alteração R/A-Ef 1040/2011/AL01 de 12-01-2021
Contactos
Escola de Ciências Sociais e Humanas
Candidaturas
Edifício Sedas Nunes (Edifício I), Sala 1W8
candidaturas.ecsh@iscte-iul.pt
(+351) 210 464 016
9:30 - 18:00
Candidatar
Leccionado em Português
Tipo de ensino Presencial

O Mestrado em Antropologia proporciona saídas profissionais em sectores de atividade muito diversificados, nomeadamente:

  • Instituições Públicas, Privadas, e ONGs com projetos nas áreas do desenvolvimento, cooperação, educação, saúde, imigração, cuidado, etc.;
  • Investigação teórica e aplicada;
  • Estudos de Património e Museologia;
  • Ensino.
Testemunhos de alumni
Igor de Almeida
Desejando refletir problemáticas referentes à condição de ser humano, antropologia ofereceu-me o género de pensamento crítico e original que eu procurava, e o curso possibilitou-me questionar, enquadrar e abordar a diversidade das experiências humanas.
David Sousa
Quis estudar antropologia para ampliar o meu conhecimento de outras culturas. O mestrado no Iscte desafiou-me a questionar mais profundamente o meu entendimento do mundo abrindo portas para um novo universo prático e filosófico não-reducionista para repensar com maior riqueza o que significa ‘ser’ por relação aos outros seres humanos e não-humanos numa era em que isso é cada vez mais urgente. A antropologia no Iscte foi um passo inspirador e decisivamente importante para a minha vida profissional.
Catarina Isabel Nunes
A antropologia abre-nos as portas para uma melhor compreensão da diversidade humana e do mundo que nos rodeia. A partir do seu carácter multifacetado e versátil, podemos incidir sobre diferentes domínios do saber, ajudando-nos assim a desenvolver o nosso espírito critico.
Contactos
Escola de Ciências Sociais e Humanas
Candidaturas
Edifício Sedas Nunes (Edifício I), Sala 1W8
candidaturas.ecsh@iscte-iul.pt
(+351) 210 464 016
9:30 - 18:00
Candidatar
Voltar ao topo