Notícias

institucional • 23 jan 2020
Conhecimento e Inovação com financiamento europeu

A requalificação do antigo edifício do IMT, com vista à instalação do centro Iscte Conhecimento e Inovação, vai ser cofinanciada por fundos europeus.

O projeto acaba de ser aprovado pelas entidades gestoras do Portugal 2020, pelo que o investimento global terá uma comparticipação de 40% de fundos europeus.

Tendo em conta que a Câmara Municipal de Lisboa também já aprovou o projeto, estão reunidas as condições para que, muito em breve, seja lançado o primeiro concurso público para a realizaçãoIMT das obras.

O projeto Iscte Conhecimento e Inovação consiste na criação de um Centro de Valorização e Transferência de Tecnologias, reunindo num edifício único, renovado, requalificado e modernizado, os vários centros e grupos de investigação, recursos tecnológicos, laboratórios e parcerias existentes no Iscte.

A requalificação do edifício do IMT e a sua integração no campus do Iscte permitirão otimizar as condições existentes em múltiplos planos. 

Em primeiro lugar, pela melhoria significativa das condições de trabalho colaborativo e interdisciplinar, cada vez mais um requisito das atividades de investigação e de valorização do conhecimento.

Em segundo, a criação do centro de inovação e valorização do conhecimento que resultará do projeto de requalificação - o Iscte, Conhecimento e Inovação -, com uma frente extensa para a Avenida das Forças Armadas, permitirá ganhar visibilidade e melhorar a relação com a cidade e as suas diferentes instituições.

Em terceiro lugar, a requalificação será exemplar do ponto de vista da sustentabilidade, da recuperação do património construído e do envolvimento de docentes, investigadores e alunos no desenvolvimento do projeto.

Este projeto está a ser desenvolvido por uma equipa constituída por dois professores do Iscte (Bernardo Pizarro Miranda e Pedro Luz Pinto) e uma ex-aluna do MIA Iscte (Susana Rego). Esta equipa contou ainda com a colaboração de estudantes de Arquitetura do Iscte – Instituto Universitário de Lisboa.

 

Voltar ao topo