Economia Social e Solidária

Contactos
O Mestrado em Economia Social e Solidária tem como objetivo aprofundar a reflexão sobre os processos associados à Economia Social e aos novos caminhos da Economia Solidária.
O Mestrado pretende contribuir para repensar a ação em contextos reais, quer no que respeita à gestão das organizações da Economia Social e Solidária, quer no que respeita à concretização de novas formas de resposta democráticas e plurais à insatisfação de necessidades humanas.

O Mestrado destina-se a: 
  • Jovens licenciados e investigadores com formação em Economia, Gestão ou outras Ciências Sociais, Humanidades ou Ciências do Ambiente e da Vida;
  • Técnicos, dirigentes e outros atores de organizações que se situem nos domínios da Economia Social tradicional, da Nova Economia Solidária ou do Desenvolvimento Territorial; 
  • Técnicos e dirigentes da Administração Pública Central e Local, Governos Regionais, Autarquias Locais, Institutos Públicos ou Organizações Internacionais cujos campos de intervenção se inscrevem nos domínios mencionados; 
  • Quadros e colaboradores de empresas envolvidos em projetos de governança local e do desenvolvimento territorial, responsabilidade social ou cidadania empresarial. 
Testemunhos de alumni
Carlos Paizinho Militar da Força Aérea e membro dos Corpos Sociais do Centro de Bem-Estar Infantil de Vila Franca de Xira, entre 1998 e 2015
A frequência do Mestrado em Economia Social e Solidária do ISCTE-IUL possibilitou a aquisição de conhecimentos e de competências em domínios que valorizo: gestão de organizações; empreendedorismo inclusivo; desenvolvimento local e territorial; e investigação em economia social e solidária. Os conhecimentos transmitidos por professores e a partilha de experiências entre colegas contribuíram para uma reflexão mais aprofundada sobre a importância das relações de reciprocidade, da solidariedade, da gestão democrática e da cidadania para a afirmação e autonomia da Economia Social e Solidária.
Susana Tapadas Psicóloga e formadora
O Mestrado foi um complemento, teórico e prático, fundamental ao meu desempenho profissional. Os conteúdos lecionados proporcionaram-me uma visão abrangente e plural da Economia, através da abordagem de modelos económicos alternativos. O contacto com a investigação mais recente na área, e com boas práticas nacionais e internacionais, permitiu-me compreender a diversidade das atividades económicas neste âmbito e o seu contributo como respostas inovadoras e eficazes aos desafios que na atualidade nos são colocados.
Bárbara Baptista (Técnica administrativa da União das Misericórdias Portuguesas)
O Mestrado de Economia Social e Solidária foi um passo certo no meu caminho, tanto a nível profissional como pessoal. É um constante desafio perceber como posso melhor servir a minha comunidade, bem como tudo aquilo que é necessário construir e desconstruir acerca da minha percepção da realidade que me rodeia. Os docentes são muito acessíveis e disponíveis para ajudar os alunos. Recomendo o curso a todos os interessados.
Fernando Cristóvão Rodrigues (Membro do Centro Social Paroquial do Castelo—Sesimbra e Presidente da Assembleia Geral da Cooperativa Castelo—Zimbra)
Realizar este mestrado tem sido uma oportunidade de crescimento pessoal e de ganho em termos de conhecimentos e competências fundamentais. A oportunidade de assistir e participar no debate em torno das temáticas da economia solidária, bem como processo de construção científica em torno de alguns dos conceitos, é um desafio intelectual muito interessante que nos é colocado quer na parte curricular quer no tema de investigação. Por tudo isto, considero que este mestrado tem sido um desafio pessoal muito importante.
Gonçalo Filipe de Sousa (Técnico Superior no Departamento de Gestão do Sul do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana)
Foi através deste mestrado que aprofundei os conhecimentos de gestão e financiamento adaptados a uma realidade cada vez mais presente na nossa sociedade, a Economia Social e Solidária. A partilha com o corpo docente e colegas foi inspiradora, pois existe uma positiva transmissão de conhecimento, partilha esta que não seria possível sem o apoio da estrutura do mestrado.
Voltar ao topo