Factos & números

 

  • Dos 9337 Estudantes do ISCTE-IUL em 2017/2018, 803 eram estudantes de Doutoramento
  • Dos 1831 Diplomas emitidos em 2016/2017, 96 são diplomas de grau de Doutor
  • Os Prémios Científicos ISCTE-IUL, que têm como objetivo promover e dar a conhecer a excelência e o reconhecimento internacional da produção científica do Instituto, com um valor total de 570.486,00 mil euros em 2017, foram atribuídos a 283 artigos científicos de 230 autores do ISCTE-IUL. *Os prémios dizem respeito a publicações científicas em revistas dos quartis 1 e 2, no Journal Citation Reports (JCR – Thomson Reuters) e SCImago Journal Rank (SJR – Scopus).
  • As unidades de investigação do ISCTE-IUL, em 2017, incluíam 1044 membros, dos quais 15% eram estrangeiros, oriundos de 36 países, e 36% (425) eram doutorados elegíveis (FCT). No que se refere ao tempo efetivamente dedicado à investigação, os 1044 membros correspondem a 546,6 ETI, dos quais 233 ETI são doutorados elegíveis. 
  • Em 2017, os investigadores das oito unidades de investigação do ISCTE-IUL publicaram um total de 1536 trabalhos científicos, que correspondem a um rácio de publicação, por doutorado elegível, de 3,6. Destes trabalhos científicos, 83% são publicações com revisão científica e 17% das publicações com revisão científica foram publicadas em revistas posicionadas no quartil 1 dos rankings JCR (Thomson Reuters) e SJR (Scopus). 
  • Em 2015, estavam em curso 186 projetos de investigação, dos quais 62% foram financiados por programas nacionais, nomeadamente FCT e outros organismos, 28% financiados por fundos internacionais e 10% sem financiamento externo. 
  • Em 2017, as unidades de investigação do ISCTE-IUL foram responsáveis pela organização de 310 eventos que compreenderam simpósios, conferências, seminários, encontros e colóquios, tendo 56% dos eventos sido de âmbito internacional. 
  • Os membros das 8 unidades de investigação do ISCTE-IUL realizaram 1341 comunicações científicas em congressos nacionais (30%) e internacionais (70%), em 2017.
Voltar ao topo