Situado no centro de Lisboa, o Iscte é uma universidade pública de excelência. Contando com mais de 10.000 estudantes, estamos distribuídos em quatro escolas, representando diversas áreas do conhecimento.

Para o ano letivo 2021-2022 o objetivo é "voltar ao normal". O ensino pode, portanto, voltar a ter lugar no campus , de forma presencial e sujeito às condições de evolução da situação epidemiológica que vivemos.


Ensino presencial

O ensino será todo presencial?

De acordo com as orientações da DGES, deve garantir-se um distanciamento físico adequado entre as pessoas sem comprometer o normal funcionamento das atividades letivas presenciais.

Para os estudantes: Devo deslocar-me ao Iscte?

Sim. Neste contexto, perante os dados relativos à pandemia em Portugal, nomeadamente a evolução do processo de vacinação em geral e na faixa etária mais presente nas instituições de ensino superior, bem como o contexto global de restrições aplicáveis às diversas atividades educativas, sociais e económicas, a DGES formulou diversas orientações tendo em vista garantir condições seguras para a realização de todas as atividades letivas e não letivas em contexto presencial. 

Para os funcionários: Todos os funcionários devem regressar ao trabalho presencial?

O objetivo do Iscte é voltar ao ensino presencial e, assim, voltarmos a estar todos juntos. Isso significa que a presença é necessária para assegurar as atividades da instituição de ensino superior e qualidade do ensino.

Neste sentido, e a partir de 1 de setembro de 2021, devem retomar o regime presencial todos os trabalhadores não docentes e não investigadores não abrangidos pelo regime de teletrabalho obrigatório e sem acordo escrito de teletrabalho nos termos do Código do Trabalho. Ainda assim, o teletrabalho continua a ser obrigatório nos seguintes casos previstos na lei:

  • Trabalhadores abrangidos pelo regime excecional de proteção de imunodeprimidos e doentes crónicos, nos termos do artigo 25.º-A do Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de março, na sua redação atual;
  • Trabalhadores que possuam deficiência, com grau de incapacidade igual ou superior a 60%;
  • Trabalhadores que tenham filhos ou outros dependentes a cargo menores de 12 anos com deficiência ou doença crónica, que sejam considerados doentes de risco e estejam impossibilitados de participar em atividades presenciais;
  • Trabalhadores em isolamento profilático declarado pelo SNS24 e em condições médicas de trabalharem.
Devo mostrar um certificado de vacinação ou um resultado de teste negativo quando chegar ao Iscte?

Pese embora seja uma escolha livre, esperamos que todos os que estudam e trabalham no Iscte optem pela vacinação. Portanto, não pediremos um certificado de vacinação.  ou certificado de teste negativo à Covid-19. Estamos confiantes que cada membro da comunidade académica assume a sua responsabilidade de prevenir novas infecções. Em caso de dúvidas contacte covid19@iscte-iul.pt

Questões financeiras e Apoios

Tenho de pagar para frequentar um curso do Iscte?

Sim.

A propina para os cursos de licenciatura é definida anualmente, em linha com o previsto no Orçamento de Estado. As propinas dos cursos de mestrado, doutoramento e os cursos não conferentes de grau variam e podem ser conhecidas no portal da instituição.

Constitui uma exceção o estatuto de estudante internacional. Os estudantes de licenciatura e mestrado com estatuto internacional têm uma propina diferente, e que deve ser consultada no portal da instituição.

A propina pode ser paga de uma só vez no ato da matrícula/inscrição com uma redução de 2%, ou em 9 prestações, e reporta sempre a um ano letivo, independentemente do ciclo ou programa de estudos em que o estudante se inscreva ou da sua duração.

Aos estudantes com estatuto internacional é solicitado o pagamento da propina de uma só vez, não sendo possível o faseamento.

Bolsas de Estudo

Aqui.

Apoio Alojamento
Estudantes com Necessidades Educativas Especiais
Como posso consultar a minha situação de propina e as referências multibanco para a liquidar?

Os estudantes podem, e devem consultar a sua área pessoal no Fénix para verificarem a sua situação de propina, o esquema de prestações e as referências de multibanco para liquidação da mesma.

Deixei passar o prazo da referência de multibanco para o pagamento das propinas, como posso regularizar o pagamento?

A referência de multibanco não caduca, e por isso o estudante pode sempre regularizar a sua situação de propina usando a referência que consta da sua área pessoal de Fénix. No entanto, o pagamento fora dos prazos estabelecidos implica o pagamento da importância em dívida acrescida dos respetivos juros, encontrando-se em mora no dia imediatamente a seguir ao termo do prazo.

As prestações são pagas por ordem de vencimento, não sendo possível imputar o pagamento à última prestação, sem que as anteriormente vencidas se encontrem totalmente liquidadas.

Quais as consequências do não pagamento de uma, ou mais prestações da propina?

O não pagamento da propina implica:

  • A nulidade de todos os atos curriculares praticados no ano letivo a que o incumprimento se reporta.
  • A suspensão da matrícula e da inscrição anual, com a privação do acesso aos apoios sociais até à regularização da dívida, acrescida dos respetivos juros, no mesmo ano letivo a que o incumprimento se reporta.
  • O impedimento da emissão de certidões e outros documentos.
  • Os estudantes que se matriculam e inscrevem pela primeira vez num curso de mestrado, doutoramento, ou numa pós-graduação, e que não paguem a 1.ª prestação da propina no prazo estipulado, têm como consequência do não pagamento a perda da vaga, sendo esta atribuída ao candidato seguinte na lista de suplentes.
A desistência do curso dá origem ao reembolso da propina paga?

Não. Os valores devidos a título de propinas não são passíveis de reembolso, assim como os valores pagos a título de candidatura.

É devido pagamento por todos os atos académicos e pela emissão de documentos oficiais solicitados junto dos Serviços de Gestão do Ensino?

Os atos académicos e os documentos oficiais que obrigam ao pagamento de emolumento estão elencados na Tabela de Emolumentos do Iscte atualmente em vigor.

Processo de matrícula e Inscrição

Qual a diferença entre matrícula e inscrição? Tenho de me inscrever todos os anos?

Matrícula e inscrição não são a mesma coisa. A matrícula torna um candidato em estudante do Iscte, mas, por si só, não dá direito à frequência de um curso. O estudante, uma vez matriculado, tem de se inscrever para ficar em condições de frequentar as unidades curriculares do seu curso.

Sim. A inscrição deve ser feita todos os anos letivos.

Como e quando posso oficializar a minha matrícula a um curso do Iscte?

A matrícula/inscrição dos candidatos aceites a cursos do Iscte é feita por via eletrónica na plataforma FÉNIX, e presencialmente no Iscte para validação da documentação, dentro dos prazos fixados. Os prazos para inscrição variam, e devem ser consultados no calendário académico disponível neste portal.

Depois de me matricular/inscrever, onde me devo dirigir para obter esclarecimentos sobre o meu percurso académico?

A gestão dos processos académicos dos estudantes é assegurada pelos Serviços de Gestão do Ensino (SGE).

Os SGE estão divididos em unidades e áreas, por nível de ensino (licenciatura; mestrado e formação pós-graduada; doutoramento), e o estudante deve contactar aquela que faz a gestão do seu curso.

A forma mais rápida de obter informação sobre o seu percurso académico, incluindo situação de propina, é o portal de estudante na plataforma Fénix. Para outras situações pode contactar os serviços, presencial ou telefonicamente, dentro do respetivo horário, ou por e-mail, devendo, neste caso, ser considerado exclusivamente o endereço institucional.

O atendimento ao público dos SGE funciona no horário mencionado nesta página em “atendimento”, mas carece de marcação. A marcação é online. Veja aqui.

Posso mudar de optativas? Como e até quando?

Sim, desde que haja vagas.

A mudança de optativas realiza-se diretamente no Fénix, sem necessidade da intervenção ou moderação dos serviços: Fénix > Portal de estudante > Mudança de inscrição em optativas

As alterações só podem ocorrer nos termos do calendário definido para o efeito

Calendários e Horários

Onde posso encontrar os calendários?
Como posso aceder ao meu horário?

O horário fica disponível no portal de estudante, em Fénix.

É também possível consultar os horários dos cursos na página pública do Fénix aqui

Como sei onde vou ter aulas? Os edifícios com as salas estão identificados no horário?

O horário indica o edifício, o piso e o número da sala onde a aula vai decorrer.

Consoante a indicação que conste, o estudante deve dirigir-se ao Edifício Sedas Nunes, Ala Autónoma ou ao II. 

Edifício Sedas Nunes

É o edifício mais antigo do Iscte. É também conhecido como Edifício I ou Edifício da Reitoria. Concentra a maioria dos serviços da universidade e os órgãos de gestão, os secretariados e outros gabinetes das Escolas de Sociologia e Políticas Públicas; Ciências Sociais e Humanas; e Tecnologias e Arquitetura. Tem também a maior sala de estudo, um bar e uma cantina, uma reprografia, além de muitas salas de aula e auditórios.

As salas de aula deste edifício estão identificadas assim, por ordem de aparição:

  • Um número, que indica o piso em que se localiza a sala;
  • Uma letra, que indica a ala em que se localiza a sala (N, S, E, W);
  • Um/dois números, que indicam o número da sala;
  • Exemplo: 2E07 - esta sala é a 07 e fica no Ed. Sedas Nunes, no piso 2, ala E (este).

Caso o estudante tenha a indicação Auditório 1 ou JJ Laginha (piso 1), ou 2 ou 4 (piso 2), é também a este edifício que se deve dirigir.  

Edifício Ala Autónoma

Foi o segundo edifício a ser construído. Tem salas de aula, mas também gabinetes de docentes e o secretariado da Escola de Gestão.

As salas de aula deste edifício estão identificadas assim, por ordem de aparição:

  • AA, que indica o edifício;
  • Um número e um ponto, que indica o piso em que se encontra a sala;
  • Dois números, que indicam o número da sala;
  • Exemplo: AA3.02 - esta sala é a 02 e fica na Ala Autónoma, no piso 3.

Caso o estudante tenha a indicação Auditório Afonso de Barros ou Silva Leal, é também a este edifício que se deve dirigir.  

Edifício II

É o edifício mais recente do Iscte e é prémio Valmor. É também conhecido como o edífício da Biblioteca, apesar de ser muito mais do que isso: é o edifício dos laboratórios de redes (piso 7) e dos de informática (piso 1), das salas de arquitetura (piso 5), dos laboratórios de investigação e do ginásio (piso 0) e do icónico grande auditório (piso 1).

As salas de aula deste edifício estão identificadas assim, por ordem de aparição:

  • Uma letra, que indica a posição e o tipo de sala (B - auditórios (mais à esquerda), C - salas (mais ao centro) e D - laboratórios de informática (mais à direita));
  • Um número e um ponto, que indica o piso em que se encontra a sala;
  • Dois números, que indicam o número da sala;
  • Exemplo: C3.02 - esta sala é a 02 e fica no Ed. II, no piso 3.

Cartão de Estudante e E-mail Institucional

Como posso obter o meu cartão de estudante e o que posso fazer com ele?

Este ano vai ser possível pedir online o cartão de estudante Iscte, em https://caixaonboarding.cgd.pt/. Para isso, é obrigatório ter Chave Móvel Digital e já ser estudante Iscte, claro! A ativação da chave móvel digital está disponível em www.autenticacao.gov.pt/a-chave-movel-digital.

Em alternativa ao pedido online, a CGD vai estar disponível no campus para emissão imediata de cartões provisórios a partir de dia 20 de setembro. Em breve divulgaremos o link para o agendamento (obrigatório).

Documentos de que vais precisar: documento de identificação e comprovativo de morada.

Lembra-te: no Iscte, o cartão de estudante é de utilização obrigatória no acesso aos espaços e no registo de presença nas atividades letivas presenciais.

Perdi o meu cartão de estudante. O que devo fazer para me ser emitido um novo?

O estudante deve contactar a dependência da Caixa Geral de Depósitos (CGD) do Campo Grande, e solicitar um novo cartão de estudante que deverá ser ativado pelo próprio estudante na sua página do Fénix. O cartão provisório é também facultado pela CGD.

O que é o e-mail institucional? Os estudantes têm de o consultar com regularidade?

O Iscte atribui a todos os estudantes uma conta de e-mail (xxxx@iscte-iul.pt) que deve ser ativada assim que o estudante acede ao Fénix, e consultada regularmente já que é para esta conta de e-mail que os serviços do Iscte enviam a informação relevante.

O acesso à conta Iscte é feito através do portal Office 365. Para acederes à tua conta deves ir a http://mail.iscte-iul.pt colocando as tuas credenciais de estudante (usadas para aceder ao Fénix).

Em que momento têm os novos estudantes acesso ao email institucional?

Os novos estudantes de 1.º ano, 1.ª vez, têm acesso ao email e a todas as ferramentas do Office 365 entre 24 e 48 horas após a matrícula/inscrição.

Para entrarem na sua conta, os estudantes devem aceder a Office 365 Login | Microsoft Office e introduzirem as suas credenciais de acesso:

  • Utilizador: xxx@iscte-iul.pt (criada pelo sistema)
  • Palavra-passe: criada pelo estudante

Para mais informação, por favor consulte:

Voltar ao topo